ASPACER sediará o Prêmio Melhores Práticas em APL de Base Mineral 2016

Postado em APL

A premiação integra o XIII Seminário Nacional de Arranjos Produtivos Locais de Base Mineral e o X Encontro da Rede Brasileira de Informação de Arranjos Produtivos Locais de Base Mineral.

No dia 26 de outubro serão apresentados os ganhadores do Prêmio Melhores Práticas em APL de Base Mineral 2016 – PMP APL Mineral 2016. A iniciativa faz parte dos eventos da RedeAPLmineral de 2016: “XIII Seminário Nacional de Arranjos Produtivos Locais de Base Mineral e o X Encontro da Rede Brasileira de Informação de Arranjos Produtivos Locais de Base Mineral”, que serão realizados no dia 25 e 26 de outubro de 2016, na sede da ASPACER, em Santa Gertrudes.

Em 2015, o Projeto Sustent´Arte, iniciativa da ASPACER, SESI e Prefeitura de Santa Gertrudes participou e foi selecionado entre as 3 melhores práticas.

O Prêmio é uma iniciativa da Rede Brasileira de Arranjos Produtivos Locais de Base Mineral – Rede APLmineral, que visa distinguir e reconhecer anualmente, as Melhores Práticas realizadas no âmbito da cadeia produtiva do setor mineral, que abrange os processos de pesquisa mineral, extração, beneficiamento, transformação mineral e comercialização dos produtos.

O PMP busca chancelar, reconhecer e disseminar as atividades e/ou projetos exitosos implementados por empresas e seus profissionais, no segmento da mineração em pequena escala, organizadas sob a forma de APL de base mineral, mediante esforços próprios ou em parcerias com outras entidades – empresas, universidades, centros de P&D, consultoria técnica, laboratórios, agências de fomento, etc., dando visibilidade à sociedade, sensibilizando e estimulando outros atores da cadeia produtiva da indústria mineral do país a replicarem esse tipo de ação.

Os vencedores do Prêmio receberão um troféu de acordo com a classificação ouro, prata ou bronze, um certificado e um tablet, na cerimônia de premiação que ocorrerá ao longo da sessão solene de encerramento da 7ª. Conferência Brasileira de Arranjos Produtivos Locais – 7ª. CBAPL.

Sobre o XIII Seminário Nacional de Arranjos Produtivos Locais de Base Mineral e o X Encontro da Rede Brasileira de Informação de Arranjos Produtivos Locais de Base Mineral

O evento acontecerá na sede da ASPACER, nos dias 25 e 26 de outubro com a presença de autoridades do governo federal e do setor privado e tem como objetivo aprimorar políticas públicas e estimular o desenvolvimento local por meio de trocas de informações e experiências. Os 677 arranjos produtivos locais (APLs), presentes em 2.175 municípios brasileiros, são responsáveis por mais de três milhões de empregos diretos em 59 setores da economia brasileira. Os dados são da Secretaria de Desenvolvimento da Produção (SDP) do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC). Os APLs são agrupamentos de empresas que têm por objetivo melhorar o desempenho produtivo. Desde 2004, o governo  federal atua para que empresas do mesmo setor ou da mesma cadeia produtiva organizem práticas de cooperação, interação e treinamento. As empresas integrantes da APLs  buscam suprir as necessidades de mercado em conjunto. Além disso, a organização traz outras vantagens, como mais facilidade em organizar treinamento e capacitação de mão de obra e os custos podem ser divididos. Para fazer parte de um Arranjo Produtivo Local, a empresa precisa estar situada na área de atuação do arranjo.  A integração ao grupo é feita mediante análise por instituições públicas ou privadas que são as gestoras regionais dos APLs.

O APL de Santa Gertrudes

No estado de São Paulo, o chamado Polo Cerâmico de Santa Gertrudes concentra 85% de toda a produção paulista, tornando-se o “Maior Polo Cerâmico das Américas” e 2º maior polo produtor mundial, formado pelas cidades de: Santa Gertrudes, Cordeirópolis, Rio Claro, Limeira, Piracicaba, Iracemápolis e Ipeúna. O número de empregos diretos do setor é de 12.000 e indiretos, 200.000.

O APL Cerâmica de Santa Gertrudes está localizado na porção centro-sudeste do estado de São Paulo, formado pelas cidades: Santa Gertrudes, Cordeirópolis, Limeira, Rio Claro e Piracicaba, sendo responsável, em 2015, pela produção de cerca de 600 milhões de m² de revestimentos, pelo processo via seca e via úmida, gerando 9,5 mil empregos diretos, e empregando, indiretamente, cerca de 100 mil pessoas.