Governo promete novo mercado para o gás

Postado em Gás Natural

O governo federal promete nova resolução para mercado do gás natural ainda este mês. A afirmação é do secretário executivo adjunto do Ministério de Minas e Energia, Bruno Eustáquio de Carvalho, durante a abertura do 3º Fórum Brasileiro do Gás Natural, que está acontecendo hoje (11) na sede da Aspacer em Santa Gertrudes. A nova política do setor prevê gás mais barato nos estados. Bruno não revelou os detalhes da nova resolução, apenas que ao entrar em vigor o empresário terá oportunidade de crescer e gerar mais emprego e renda para o País.

O presidente do conselho admirativo da Associação Nacional dos Fabricantes de Cerâmica para Revestimentos, Louças Sanitárias e Congêneres – Anfacer, Manfredo Guedes Pereira Gouvêa Júnior, revelou que a realidade tributária aplicada ao produto não é condizente com os custos de produção. Em sua fala, durante a abertura do Fórum, ele destacou que o setor precisa de uma política segura e consistente. Ao elogiar a iniciativa da Aspacer em abrigar o evento, Manfredo disse que não é só oportuno, mas se trata da discussão de assunto extremamente relevante ao setor. “É preciso discutir a política do gás e isso é o que estamos fazendo aqui hoje”, discursou.

Luís Fernando Quilici, diretor de relações institucionais e governamentais da Aspacer e CEO do Fórum, falou que o evento em Santa Gertrudes trará reflexos positivos, além do aguardado impacto na indústria cerâmica e outras que dependem do gás natural como energia. Quilici também lembrou que gás mais barato significa maior produção e com arrecadação maior o governo arrecada mais e também é parte integrante dos benefícios. O presidente do Conselho administrativo da Aspacer, Valmir Severino Carnevali em seu breve discurso falou em sediar o Fórum. “Está se tornando tradicional em nosso calendário e acredito que no de vocês também, pela importância e dimensão que atinge e também o que ele vem representando junto à sociedade. Chegamos à terceira edição e espero que outras aconteçam para que novos temas possam florescer”.