ASPACER participa de reunião da Frente do Gás Natural na ALESP

Postado em Gás Natural

DSC_1081A Frente Parlamentar de Apoio ao Desenvolvimento do Gás Natural no Estado de São Paulo recebeu na sede da ALESP – Assembleia Legislativa de Sã Paulo, última segunda-feira, 09, os representantes da Petrobrás da Bacia de Santos, Osvaldo Kawakami e Rodrigo Costa e Silva. Ele vieram apresentar os resultados do plano de gestão da estatal até 2021. A reunião foi presidida pelo deputado João Caramez (PSDB) e ocorreu no plenário Dom Pedro I. A ASPACER esteve representanda por Maria Fernanda Rodrigues dos Santos, marketing institucional.
Os números mostram que o crescimento da produção de gás natural no Estado já é significativo. “O foco está na bacia de Santos. Muitas plataformas estão em construção, o que está faltando é tempo”, disse Osvaldo Kawakami, que é gerente-geral da Unidade de Operações de Exploração e Produção da Bacia de Santos (UO-BS).

De acordo com Kawakami, o que falta para o gás chegar até à população é infraestrutura. “Para nós, a distribuição do gás já está restrita por conta disso.” Discorreu ainda sobre a construção de um centro tecnológico para pesquisas, que já estão sendo desenvolvidas com a USP, Unesp e Unicamp. “As pesquisas serão voltadas para o pré-sal e, uma vez criado, ele será um polo tecnológico no país”.

Caramez destacou a importância da frente. “São Paulo já se tornou o segundo maior produtor de gás natural. Se nós não tivermos uma política de incentivo e fomento à utilização, teremos essa fonte sobrando”, declarou, destacando a importância de se ter um consumo suficiente para aumentar a oferta.

A frente discutiu ainda a realização de uma audiência pública com o secretário de Energia e Mineração para discutir sobre o investimento no gás veicular. “A partir do momento que você tem uma política de incentivo voltada para essa questão, você amplia o número de veículos que utilizam o gás natural. Todos ganham com isso, inclusive o meio ambiente”, explicou Caramez.

Essa foi a última reunião do ano da frente parlamentar, que retorna aos trabalhos em março do ano que vem.

Fonte: Léo Martins - ALESP