Primeiro dia de Fórum – temas pertinentes para a área da decoração digital

Posted in Fórum Nacional, Prêmio Aspacer

EAV_0563 - Cópia“Mais do que o conteúdo técnico, a experiência de vida foi o que mais marcou o primeiro dia do 2º Fórum Nacional de Design para Revestimentos Cerâmicos”, definiu o presidente do Comitê Técnico, professor e doutor Anselmo Ortega Boschi.

Isso porque as palestras, apresentaram um vasto conteúdo técnico e cada um dos palestrantes deixou algumas palavras e experiências para que os participantes refletissem para carreira de design.

Na mesa de trabalho da abertura, estavam presentes, o presidente da Aspacer e do Sincer, Heitor Ribeiro de Almeida Neto, o vice-presidente da entidades, Benjamin Ferreira Neto, Marcos Antônio Serafim, designer do Centro Cerâmico do Brasil e o vice-prefeito de Santa Gertrudes, Paulo Zemuner, representando o prefeito Rogério Pascon, que não pode estar presente por compromissos assumidos anteriormente. “Reunir profissionais da área de design e criação do setor cerâmico é um grande orgulho. Há 15 anos atrás, as cerâmicas não possuíam um profissional com esse perfil em seu quadro de colaboradores. Hoje a realidade é outra. Vocês são fundamentais para o sucesso de nosso segmento”, destacou Heitor.

Alexandre Keese, do Grupo Photo Pró, através do tema: “O desenvolvimento da cor no processo digital”deu início aos trabalhos falando que o gerenciamento da cor é um processo fundamental do trabalho de cada um dos profissionais das áreas de design e criação das indústrias. “A tecnologia digital veio para ficar e é preciso que os profissionais estejam atentos à ela. A percepção é item fundamental”, destacou.

Edsel Lonza, da Xaar Innovative Technology – Xaar América Latina, deu continuidade no assunto, através da palestra: “Tecnologia digital jato de tinta aplicada no setor de revestimentos cerâmicos” ou seja, a imagem e sua reprodução no revestimento cerâmico. “A indústria cerâmica, sem dúvida, é um mundo particular. A impressão digital é um desafio e uma nova oportunidade de inovar”, complementou.

Edsel apresentou a tecnologia dos cabeçotes das impressoras inkjets da Xaar, suas particularidades e sua fácil adaptação ao meio cerâmico, porém salientou que “os profissionais precisam estar focados, atualizados, para poderem se destacar na profissão, que hoje se tornou referência no segmento”.

O primeiro período de palestras foi encerrado para almoço e Boschi aproveitou para dizer que a interação entre os profissionais também faz parte e é fundamental para o bom desenvolvimento desses profissionais. “O Fórum também tem como objetivo permitir que cada um analise a sua dúvida o seu problema e compartilhe com os outros. Isso traz ganhos para ambas as partes”.

Logo após o almoço, o arquiteto e designer de superfícies, João Rieth, falou sobre “Design de superfícies e soluções em alto relevo” e destacou a importância deste profissional estar sempre atualizado, através de livros, revistas, e se atentar as tendências, isso tudo sempre com um olhar voltado a necessidade e aspiração do consumidor. “Ter uma visão macro, também é trazer à tona o que os demais segmentos estão oferecendo”. Também destacou a tendência ligada a preocupação com o meio ambiente, “sempre com foco no conforto ambiental e no seu entorno. Através do avanço tecnológico, é possível criar várias formas de interação”. O artista utiliza a linha Cobogó, nome pelo qual foi batizado o elemento vazado, inicialmente feito em cimento, uma tendência da arquitetura contemporânea.

Bia Arding, design de produtos e superfícies e professora, fez uma relação muito interessante entre os temas: identidade; cultura; memória afetiva e design. “Os objetos carregam consigo uma história e a partir disso, às pessoas constroem uma identidade. Temos que trazer mais a nossa “cara” aos produtos da indústria brasileira. Nas entrelinhas já conseguimos visualizar nossa cultura, porém o grande desafio é fazer essa cultura sair da mesmice dos tucanos, araras etc, para ganhar uma nova ‘roupagem”.

O chileno Enrique Rodriguez, trouxe alguns dos seus produtos para apresentar ao público, o que causou “murmurinhos” dentro do auditório de trabalhos, pela beleza e originalidade de seu trabalho. “À partir de uma folha de papel e de um estilete, a arte de criação surge, através de folhas, desenhos, inspirada na arquitetura, culinária e religião de vários povos e países”. Rodriguez ainda salientou que é possível criar, aliando o estilo pessoal e a tendência. “Através da inspiração, podemos inovar o mercado e oferecer outras opções”. Nas mãos dos profissionais que participaram do fórum passaram objetos como: papel de parede, quadros, revestimentos, dobraduras, bandejas acrílicas e etc.

O segundo dia de palestras continua amanhã, 13, à partir das 09h.

O trabalho do júri do 1º Prêmio Nacional Aspacer de Design começou hoje, às 09h e será encerrado às 21 horas. O resultado será divulgado durante o coquetel na próxima terça-feira, à partir das 18h.