Roberto Macedo faz a abertura oficial do Forn&Cer 2013

Posted in Forn&Cer

DSC_2156O Encontro Internacional de Fornecedores e Cerâmicas – FORN&CER é um grande evento de marketing e negócios. Ele foi criado para atender de forma moderna e eficiente as necessidades de todo o setor nacionalmente. Com uma organização séria e profissional, o FORN&CER permite a total integração de todos os elos de nossa pujante cadeia produtiva. A Aspacer, ao promover o FORN&CER, a exemplo de suas atividades nos seus 11 anos de existência, vem suprir a lacuna da parceria e de sinergia necessárias para um completo desenvolvimento da indústria cerâmica paulista e brasileira. O Encontro aproxima os grandes responsáveis pelo avanço tecnológico: as empresas fornecedoras de produtos e serviços e as indústrias cerâmicas, que vêm conquistando mercados cada vez mais expressivos em todo território nacional e no exterior.

A abertura da 6ª edição do Forn&Cer (Encontro Internacional de Fornecedores e Cerâmicas), no dia 17 de junho, contou com a presença do economista e ex-secretário de política econômica do Ministério da Fazenda Roberto Macedo. O evento reuniu os principais representantes do setor cerâmico, além de autoridades políticas de toda região. Na ocasião, o economista ministrou uma importante palestra com o tema: “ Conjuntura e Perspectivas da economia” e buscou elucidar as dúvidas e questionamentos do setor.

Os assuntos de maior destaque foram os motivos que levaram o Brasil a passar mais tranquilamente pela crise de 2008, porém demonstrou que a economia entre os anos de 2011 e 2013 demonstrou mudanças, por conta do baixo valor da balança comercial e oscilação do dólar. Para isso, Roberto Macedo destacou pontos principais: crises mundiais, macro economia e um panorama da cadeia produtiva da construção.

Outro ponto de destaque, desta vez que nos coloca em um patamar menos favorecido, esteve relacionado à questão da defasagem com relação ao investimento em capital humano. “O Brasil tem dificuldade em investir em capital fixo e em capital humano. Grande parte dos recursos para investimentos se concentra na mão de poucos (governo). Sem investir em educação, infelizmente, não conseguiremos alçar “voos” maiores no quesito desenvolvimento. Para Macedo, a arrecadação é mal investida no Brasil.

A partir de uma análise do cenário do futuro a curto, médio e em longo prazo, o economista chegou à conclusão de que o Brasil teve por vários momentos chances de criar bases mais sustentáveis para a sua economia, porém não soube driblar alguns desafios.

Quando questionado com relação ao setor cerâmico, especificamente no assunto que envolve a isenção do IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) e programa de incentivo a construção civil, como o Minha Casa, Minha Vida, Macedo destacou a importância dada ao setor da construção civil, porém com ressalvas “Basta que o governo saiba como administrar o que perde em arrecadação, uma vez que boa parte desses impostos é dividida com estados e municípios. O governo não está pensando em grandes investimentos através desses programas e sim média e baixa classe da população”. Outro ponto importante foi quando o economista previu um futuro promissor com relação ao crédito imobiliário, que tem crescido nos últimos anos no Brasil. “Acredito que se bem administrada, a política de incentivo ao crédito, não corre o risco de prejudicar a economia do país, como exemplo dos Estados Unidos, que os bancos ’emprestaram´ capital e não conseguiram se bancar”.

Finalizando, o economista fez uma breve análise do crescimento mundial, que nos próximos três anos, deve atingir de 3 a 3,5%. No Brasil, disse que o crescimento poderia ser maior, pois hoje os empresários se sentem “ameaçados” a investirem, por conta das grandes despesas e das incertezas da economia. Mas deu uma boa notícia para o setor cerâmico e da construção: imóveis e construção civil estão em uma ótima ascensão, pois o consumidor tem investido mais nesses setores.

E ressaltou: “Em um regime capitalista é importante poupar para investir. Quem não poupa, não consegue reter ‘capital”.

Logo em seguida,  Roberto Macedo, conheceu o pavilhão de exposições e participou do coquetel de abertura do Forn&Cer 2013.