Vamos ter agenda firme no Congresso impedindo aumento de impostos, afirma Skaf

Publicado en Indústria

Presidente da Fiesp ponderou que também é necessária uma agenda construtiva e criativa para a crise econômica do país

A Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) está trabalhando com uma agenda criativa junto aos ministérios do Governo Federal para enfrentar a crise econômica. Mas também faz parte dos posicionamentos da entidade, uma postura firme contra o aumento dos impostos, afirmou nesta segunda-feira (9), o presidente da instituição Paulo Skaf.

“Vamos ter posturas muito firmes contra aquilo que, ao nosso ver, não vai de encontro com os interesses do país. Quanto a aumentar impostos, por exemplo, estaremos rigorosamente contrários”, disse Skaf após participar da abertura do 11º Construbusiness – Congresso Brasileiro da Construção 2015.

A federação busca no momento criar uma agenda de trabalho com os ministérios. E, segundo Skaf, deve receber um total de 20 ministros pelos próximos 30 dias. “Vamos ter uma agenda de trabalho positiva pra que o país também não pare”.

Skaf voltou a afirmar que não será o aumento da arrecadação de impostos que resolverá o problema do governo com as contas públicas. O Brasil arrecadou US$1,8 trilhão em impostos no ano passado, segundo o presidente da Fiesp.

“Se com R$1,8 trilhão de impostos não resolve, não será com R$1,83, nem com R$1,85 trilhão que vamos resolver. Precisamos é que realmente se emagreça o desperdício e as despesas de todos os governos. Na realidade, é isso que vamos defender”.