Cerâmica é o produto mais exportado na região

Postado em Exportação

Acompanharam de perto as últimas tendências mundiais e representaram o setor cerâmico de revestimento brasileiro na Coverings 2017: Benjamin Ferreira Neto – presidente da ASPACER, Luís Fernando Quilici – diretor de relações institucionais e governamentais da ASPACER, Heitor Ribeiro de Almeida Neto – presidente do Conselho Administrativo da ANFACER e Antonio Carlos Kieling – diretor superintendente da ANFACER.

Acompanharam de perto as últimas tendências mundiais e representaram o setor cerâmico de revestimento brasileiro na Coverings 2017: Benjamin Ferreira Neto – presidente da ASPACER, Luís Fernando Quilici – diretor de relações institucionais e governamentais da ASPACER, Heitor Ribeiro de Almeida Neto – presidente do Conselho Administrativo da ANFACER e Antonio Carlos Kieling – diretor superintendente da ANFACER.

As exportações nas cidades do Polo Cerâmico de Santa Gertrudes mais uma vez se destacam.  Dentre aos produtos industrializados, os revestimentos cerâmicos ocupam o primeiro lugar na pauta das exportações nos municípios de Rio Claro, Cordeirópolis e Santa Gertrudes.

As vendas do produto para o mercado externo na cidade de Rio Claro cresceram 7% no primeiro trimestre de 2017, quando comparado o primeiro trimestre de 2016.

Números ainda mais expressivos apresentaram as cidades de Cordeirópolis e Santa Gertrudes, que nos três primeiros meses de 2017 exportaram 25% e 24% mais que no mesmo período de 2016, respectivamente.

“O dado sobre exportação reforça a importância do setor cerâmico para o desenvolvimento econômico e social para a região. Diante da diminuição do mercado interno em função da recessão histórica que estamos vivendo, com forte impacto negativo sobre o emprego, as indústrias estão buscando alternativas para as vendas no mercado externo”, destaca Luís Fernando Quilici – diretor de relações institucionais e governamentais da ASPACER.

Recentemente, com objetivo de promover as empresas e os produtos brasileiros, gerar novos negócios no mercado internacional e acompanhar de perto as tendências mundiais, empresas associadas à ASPACER – Associação Paulista das Cerâmicas de Revestimento e a ANFACER Associação Nacional dos Fabricantes de Cerâmica para Revestimentos, Louças Sanitárias e Congêneres participaram da Coverings, em Orlando, na Flórida (EUA), principal feira de negócios para os setores de cerâmica de revestimento e rochas ornamentais.

“Ao contrário dos que os números podem sugerir, fixar-se no mercado externo não tem sido uma tarefa fácil. A concorrência internacional é muito grande, e embora na maior parte dos últimos meses o câmbio tenha melhorado incentivando as operações de venda ao exterior, a carga tributária sobre a indústria é muito danosa. Na verdade, o setor aumentou o volume de vendas em metros quadrados na exportação, mas diminuiu significativamente o valor do preço do metro quadrado vendido.”, complementa Quilici.

Para reverter essa situação, a ASPACER tem realizado uma série de ações no sentido de buscar agregação de valor aos revestimentos cerâmicos. Nesse caso ganham destaque a sétima versão do Congresso da Indústria Cerâmica de Revestimento a realizar-se em junho, o Prêmio Nacional ASPACER de Design e o Fórum de Design para Revestimentos Cerâmicos, eventos que ocorrerão simultaneamente no mês de agosto e que procuram estimular a criatividade de design em cerâmica e qualificar os recursos humanos das indústrias, na perspectiva de agregar valor aos pisos, azulejos, faixas e pastilhas.

Ainda falando de números expressivos na região, em 2016 as exportações de ladrilhos e placas (lajes), para pavimentação ou revestimento, vidrados ou esmaltados, cubos, pastilhas e artigos semelhantes na cidade de Rio Claro, representaram 17,97% do total de produtos comercializados para o exterior. Santa Gertrudes demonstrou números ainda mais relevantes: 98,77% dos itens exportados foram pisos, azulejos, faixas e pastilhas.