História de vencedor do Concurso de Desenho da ASPACER vira tema de matéria exibida na Rede Globo

Postado em Desenho

Um menino de 6 anos venceu um concurso da Associação Paulista das Cerâmicas de Revestimento (ASPACER), em Santa Gertrudes (SP), ao fazer uma ilustração sobre meio ambiente. O desenho virou símbolo de superação, já que a criança tem deficiência visual.

Daniel Pinheiro do Nascimento nasceu com uma deficiência genética e não consegue reconhecer facilmente os objetos. Na escola, ele precisa de um pouco mais de tempo para aprender, o que, segundo a mãe, causava desânimo no filho.

“Ele tem nistagmo e miopia. O nistagmo causa uma dificuldade muito grande em focar a imagem, ele vê tudo muito embaçado e tem muita dificuldade em ver à distância”, explicou Elaine Pinheiro do Nascimento.

Concurso
Desde 2013, a ASPACER escolhe desenhos de crianças para ilustrar os cartões de Natal dos funcionários. Neste ano, o tema era meio ambiente. Ao todo, 153 desenhos de crianças entre 6 e 11 anos disputaram a 4 ª edição do concurso.

“Recebi na empresa onde trabalho para participar do concurso, trouxe e avise minha esposa e o Daniel, logo depois ele começou a fazer um desenho. Quando eu cheguei com ele pronto, as pessoas começaram a me perguntar se realmente tinha sido ele que fez ou se eu tinha desenhado, mas eu, com 34 anos, não consigo desenhar o que ele desenha”, disse Sidnei do Nascimento, pai de Daniel.

Quando falou Daniel eu ainda comentei com ele e falei: filho, é outro Daniel. E então chamaram o nome completo dele. A gente ficou radiante, não tem nem como explicar a emoção que a gente sentiu”
Sidnei do Nascimento, pai de Daniel

1º lugar
Para a surpresa da família, Daniel acabou ficando em primeiro lugar no concurso. “Quando falou Daniel eu ainda comentei com ele e falei: filho, é outro Daniel. E então chamaram o nome completo dele. A gente ficou radiante, não tem nem como explicar a emoção que a gente sentiu”, completou o pai.

“Isso é um pé de amora, três peixes no lago, uma flor, outra flor, uma abelha e uma formiga, mas devia ter feito mais”, contou o menino sobre o desenho.

A história dele também surpreendeu os organizadores e deu importância ainda maior aos cartões da associação.

“Entregamos esse prêmio com o objetivo de aproximar as crianças dos pais e dos trabalhos desenvolvidos pelos pais nas cerâmicas, mas pudemos perceber e enxergar que esse prêmio e essa atividade desenvolvida pela associação vai muito mais além. É capaz de mexer com o dia a dia das pessoas e talvez isso para o Daniel sirva como uma lição de superação e de que tudo é possível”, relatou o diretor de relações institucionais e governamentais da associação, Luis Fernando Quilici.

Entusiasmo
O resultado também mudou a vida de Daniel, que antes vivia com auto estima baixa, mas agora se mostra cada dia mais entusiasmado. “Mãe acredita que o filho faz coisas maravilhosas, lá no fundo, tem uma esperança, mas eu não esperava o primeiro lugar. Agora estou vendo muito mais sorrisos, ele está muito melhor e mais confiante”, disse Elaine.

Fonte: EPTV