Em Brasília ASPACER se reúne com ministro de Minas e Energia

Publicado en Mineração

Ministro propõe para maio encontro com o Fórum das Associações Empresariais Pró-Mercado de Gás Natural

Luís Fernando Quilici, Eduardo Braga, Benjamin Ferreira Neto e Carlos Nogueira

Luís Fernando Quilici, Eduardo Braga, Benjamin Ferreira Neto e Carlos Nogueira

Para dar continuidade ao diálogo com os diversos segmentos abrangidos pelo Ministério de Minas e Energia (MME), o ministro Eduardo Braga recebeu no dia 25 de fevereiro, representantes das entidades do setor mineral. A reunião foi acompanhada pelo secretário de Geologia e Mineração, Carlos Nogueira. Para Braga, a relevância do setor no País vai além da economia e os seus representantes devem ter canal aberto com o governo federal.

“Nós queremos dar não só a importância, mas também o reconhecimento político e econômico que o setor tem. É um setor que tem muitos anseios em relação ao novo marco regulatório que encontra-se no Congresso”, afirmou Braga aos participantes da reunião.

A ASPACER participou do evento em Brasília e esteve representada pelo presidente Benjamin Ferreira Neto e pelo diretor de relações institucionais e governamentais, Luís Fernando Quilici, que em sua exposição, falou ao Ministro sobre a necessidade do descontigenciamento de recursos para o DNPM, sobre a necessidade da implantação do Escritório Regional do DNPM em Santa Gertrudes e sobre a importância do aumento da oferta e preço justo do gás natural, principalmente ao setor industrial. Sobre o descontigenciamento, o Ministro disse que vai verificar a situação; sobre o Escritório Regional, o Ministro afirmou que é favorável a iniciativa e vai identificar o que precisa ser feito para viabilizar o pleito; e sobre o gás natural, pretende agendar um encontro com o Fórum das Associações Empresariais Pró-Mercado de Gás Natural para o mês de maio, e realizará esforço para o aumento da oferta do combustível para o segmento.

Braga destacou que o setor mineral vive um novo momento em face do cenário internacional e reforçou a importância do diálogo entre os agentes do setor e o governo. “Estamos abertos para um diálogo franco, aberto e resoluto, com uma área que tem uma importância social e política para o Brasil”, disse o ministro.

O secretário Carlos Nogueira afirmou, na abertura da reunião, que o segmento foi representado, em suas diversas cadeias produtivas, por 16 entidades. De acordo com Nogueira, o objetivo é receber no MME as contribuições das associações.

Além da ASPACER, participaram representantes do Instituto Brasileiro de Mineração (IBRAM); Associação Brasileira das Indústrias de Águas Minerais (ABINAM); Associação Nacional das Indústrias de Cerâmica (ANICER); Sindicato Nacional da Indústria da Extração do Carvão (SNIEC); Associação Nacional das Entidades de Produtores de Agregados para a Construção Civil (ANEPAC); Instituto Brasileiro de Gemas e Metais Preciosos (IBGM); Sindicato Nacional da Indústria do Gesso (SINDUSGESSO); Sindicato Nacional da Indústria de Extração de Estanho (SNIEE); Associação Brasileira dos Produtores de Calcário Agrícola (ABRACAL); Associação Brasileira da Indústria de Rochas Ornamentais (ABIROCHAS); Sindicato Nacional da Indústria do Cimento (SNIC); Sindicato Nacional da Indústria de Extração do Ferro e Metais Básicos (SINFERBASE); Associação Brasileira das Empresas de Pesquisa Mineral (ABPM); Agência para o Desenvolvimento Tecnológico da Indústria Mineral Brasileira (ADIMB); Centro Brasileiro dos Exportadores de Rochas Ornamentais (CENTROROCHAS); e o Sindicato Nacional da Indústria Brasileira de Pedras para a Construção (SINDIROCHAS).