Apresentações de maquinários e equipamentos chamam a atenção do público do congresso

Postado em Congresso

Após o coffee break, no segundo dia de palestras do circuito do 6° Congresso da Indústria Cerâmica de Revestimento, foi o momento de alguns grandes fornecedores do setor cerâmico apresentarem suas soluções para o segmento. Começando pela palestra de Valmir Aparecido Roberto, técnico e comercial da WEG motores, empresa com 28 anos de mercado e 100% nacional. Sob o tema “Economia de energia em motores elétricos”, Roberto apresentou um novo sistema para a redução de custos, provando com dados numéricos que substituindo um motor velho por um motor novo, ao invés de rebobiná-lo, gera uma economia que a longo prazo paga o novo produto. Além disso, ele destacou que economizar energia elétrica, que move o setor, é muito mais importante que a questão do gasto ou aumento do preço do kWh, e baseia-se no fato de que ela vai faltar. Partindo do princípio de que atualmente todo mundo se queixa do aumento do preço da energia, ele explicou que as altas taxas prestam-se também para diminuir a dependência que o sistema tem da matriz hídrica, que é muito barata, aumentando o preço da mesma e possibilitando o desenvolvimento de outras fontes à preços competitivos.

Pegando gancho nessa palestra, o Auditório 1 recebeu Carlos Alberto dos Santos e Thales Viana de Almeida Ferreira, ambos engenheiros de aplicação da STEMAC Grupos Geradores, que apresentaram a empresa que é a 5° no mundo em comercialização de geradores. Discursando sobre a viabilidade técnica e econômica do grupo gerador eles destacaram o Horário de Ponta, onde o gasto energético, ainda que se mantenha a mesma produtividade, custa mais caro à indústria, das 17h30 às 20h30. Utilizar um grupo gerador nessa faixa de horário, por exemplo, aplaina o risco de carga no sistema, traz benefício econômico uma vez que a empresa não precisa parar de produzir devido a quedas de energia, aumenta a confiabilidade e traz independência energética.

Dando continuidade às palestras sobre equipamentos, Flávio Cavaletti Filho, diretor da Cavaletti, apresentou seu modelo de tratamento de ar comprimido e seu uso e aplicações corretas, apresentando uma linha de produtos que gera ar comprimido de qualidade, seco e isento de impurezas, sem água, óleo ou partículas sólidas. Entre as soluções apresentadas encontra-se o Separador de condensados; Dreno automático de condensados com drenagem inteligente eliminando as partículas sem perder o ar comprimido; Filtragem de ar, que tem como marca remover partículas de poeira em um sistema fácil de instalação, de pouca manutenção e que informa o momento em que o filtro deve ser trocado gerando maior qualidade no ar comprimido final; Secador de ar de refrigeração e Separador de Água e Óleo. A utilização desse maquinário evita que o restante dos equipamentos seja danificado, mantêm as vedações em ordem e agregam credibilidade ao processo.

E a última palestra do dia veio diretamente da Atlas Copco, com 140 anos de mercado e 60 anos de Brasil, representada por Fernando Gonçalves. Segundo ele, o foco da empresa está na sustentabilidade e por isso apresenta ao mercado seu último lançamento: um compressor que traz economia, redução de ruído e ocupa um pequeno espaço. Na tentativa de reduzir os gastos sem perder produtividade, a Atlas Copco traz ao mercado o Compressor de Parafuso com Invensor de Frequência, que pode inclusive recuperar o calor que é extraído do processo de compressão do ar para outras funções dentro da fábrica, como por exemplo, aquecer o chuveiro dos vestiários.