Deformar ou Reformar

Postado em Revista Aspacer

592006a5-00e3-48e9-a707-e726c0af7e05Como ironizam nas redes sociais “viver fatos históricos é cansativo”. Nesse momento de crise vários fatores nos pressionam e vão roubando nossa energia de forma muito intensa: a preocupação com sua saúde e das pessoas que ama, a desestruturação econômica e seus impactos diretos da sua vida, a nossa solidariedade com a dor daqueles que estão doentes ou perderam pessoas queridas, ou até mesmo as restrições trazidas pelo isolamento social, as saudades, os abraços não dados, enfim, um conjunto de fatores estressantes que nos pressiona além do normal.
Para você que tem a oportunidade de continuar trabalhando, e ainda mais, para você gestor de um departamento ou de uma empresa, soma-se a esse quadro de pressão a exigência mandatória por resultados, dos quais depende, às vezes, até a sobrevivência de uma empresa. Então, a pressão só aumenta.
Não quero te dar uma receita de como se comportar para enfrentar tudo isso. Longe de mim. Mas refletindo nesses dias, uma palavra veio à minha mente repetidas vezes: resiliência. Para a física resiliência é a capacidade de um corpo voltar ao seu estado original após suportar determinada pressão. Nas áreas de estudo do comportamento humano resiliência é a capacidade de uma pessoa lidar com os problemas e conflitos, de vencer obstáculos e trabalhar com situações de pressão, sem se desmoronar.
Tudo bem, isso não é tão fácil, concordo com você. E esse breve artigo não é um estímulo para você se tornar um Superman ou uma Mulher Maravilha. Afinal, é natural e humano nos abalarmos diante de uma situação tão adversa. Pessoas resilientes também experimentam dificuldades, angústia, dor e estresse intenso.
Mas a diferença da pessoa resiliente é que ela não se deixa afetar profundamente por essas turbulências, a ponto de desestabilizá-la, pois entende que não pode alterar a realidade, mas pode controlar a forma como lida com ela. Se queixar, se preocupar excessivamente, se desesperar não muda o cenário, por mais que queiramos. Ser resiliente é, diante de uma situação de elevada pressão como essa, ser flexível, mas coerente, é não negar a realidade, mas também não se desestruturar por ela.
Então minha provocação a você hoje é que use esse momento difícil para desenvolver sua resiliência, adotando as seguintes posturas:
• Enfrentando: adote uma postura ativa, encare esse momento como um desafio que pode ser superado.
• Aprendendo: pergunte-se: o que posso aprender com tudo isso? Que habilidades tenho de usar e que estavam esquecidas?
• Amadurecendo: pergunte-se: o que é realmente importante? O que é essencial? Tenho valorizado o que realmente importa? Em que áreas da minha vida preciso ser mais equilibrado? Como posso me tornar um ser humano melhor ao final de tudo isso?
A certeza que temos é que toda essa pressão vai passar. E a depender da postura adotada podemos nos deixar deformar ou reformar. Adote a postura resiliente e, ao final, você retomará sua forma original, ou melhor ainda, poderá ter descoberto uma forma de ser ainda mais equilibrada, madura e humana.

Fonte: PABLO NASCIMENTO BELONI - Gerente de RH da Cerâmica Villagres e Coordenador do Grupo de RH da ASPACER

Share on FacebookTweet about this on TwitterEmail this to someonePrint this page