Falece o fundador das empresas do grupo Colorobbia

Postado em Outro

Faleceu no último dia 17, o empresário e industrial italiano Vittoriano Bitossi, fundador das empresas do grupo Colorobbia.

Patriarca da Colorobbia de Montelupo Fiorentino e Sovigliana, na Toscana, Itália, faleceu na quarta-feira, 17 de janeiro, aos 94 anos.

Um ícone no setor, em seu nome, em 2008, foi criada a fundação Vittoriano Bitossi para a arte da cerâmica e da indústria química, com o propósito de  valorizar a cultura, a pesquisa histórica e ciêntifica.

A sede é a mesma onde nasceu a fábrica “Maioliche Artistiche Guido Bitossi” fundada pelo pai Guido Bitossi em 1921. O acervo histórico contém 7.000 itens entre cerâmicas, documentos, fotografias, projetos e equipamentos que datam desde 1940 aos dias de hoje.

Com a perda prematura do pai aos 14 anos, Vittoriano Bitossi, o terceiro de quatro irmãos (Mario, Marcello, Vittoriano e Carlo), presencia a mãe assumir o controle da fábrica, já com projeção internacional, tanto na Europa como nas Américas.

Em 1940, com os problemas gerados pela Grande Guerra, o jovem Vittoriano Bitossi aos 17 anos é obrigado a interromper os estudos e assumir total responsabilidade empresarial da empresa. Consegue superar as dificuldades financeiras e reconduzir a indústria na antiga posição, perdida nos anos passados. Com iniciativas corajosas, transforma gradualmente a empresa de família agregando à fábrica um conjunto de produções de matérias primas essenciais ao setor cerâmico.

Nos anos finais da guerra , no período da Libertação, a indústria se transformou e se tornou produtora de esmaltes e pigmentos para cerâmicas, conseguindo um salto de qualidade que permitiu assim superar os outros concorrentes, que também tinham tido suas indústrias bombardeadas.
A gestão cuidadosa da empresa unida à instituição empresarial de Vittoriano Bitossi e o trabalho conjunto com o ceramista Aldo Londi, o escultor Bruno Bagnoli,  Remo Buti, Alvino Bagni e o arquiteto Ettore Sottsass, permitiu  ao “Colorificio Cerâmico Della Robbia”, que depois se tornou a  Colorobbia em 1947, de tornar-se o gigante da atual indústria.  A pesquisa constante foi a base do avanço da empresa, permitindo  o crescimento perante a concorrência.

A tradição de família, iniciada em 1871, se mantem até os dias de hoje com grande sucesso. Nos últimos anos o venerável se dedicou à pesquisa das raízes na comunidade de Montelupo e de sua família, com origens que remontam ao século XVI. Mas a grandeza desse ilustre personagem pode ser observada nas suas palavras, durante uma entrevista em 1979 a um jornal local. A resposta de Bitossi à pergunta “O que significa para o senhor a riqueza?”, foi “Me é útil unicamente para investir de novo, para potencializar as minhas indústrias. Nunca usei a riqueza gerada para especular. O dinheiro serve principalmente para melhorar a qualidade e a produção e para tornar respeitosamente humano o ambiente de trabalho. Nunca usei a riqueza como um escudo para a escalada social. Nunca!.”

Vittoriano Bitossi foi um exemplo de gestão nas indústrias do grupo. Deixa o filho Marco, a filha Cinzia e netos.

 

Fonte: Grupo Colorobbia

Share on FacebookTweet about this on TwitterEmail this to someonePrint this page