Fórum de Design é matéria na Globo

Postado em Fórum Nacional, Prêmio Aspacer

DSC_5718

Painel da empresa Glazetech, de Karina Joaquim

O polo cerâmico de Santa Gertrudes (SP) começa a investir em novidades após se recuperar da crise enfrentada no primeiro semestre, provocada pela alta no preço do gás. Na cidade, uma das mais importantes do setor no mundo, um fórum que termina nesta terça-feira (13) reúne os principais designers brasileiros e a variedade de opções chama atenção.

Para atrair consumidores, a aposta do setor é na decoração de pisos e azulejos e textura, relevo e novas cores dão um toque diferente aos produtos. A dona de casa Vera Lúcia Aparecida Pereira aguarda conclusão na reforma de sua casa, mas a escolha da decoração não foi fácil. “Primeiro vou sozinha, olho tudo e depois levo alguém para ajudar a escolher, porque tem sempre muita coisa bonita, muita cor, variedade”, disse.

No Fórum Nacional de Design em Revestimentos Cerâmicos, são 23 modelos expostos, e os especialistas discutem como deixar os materiais mais atraentes. Um deles, reproduz um vestido de crochê. “Me inspirei no crochê e na moda, então foi uma criação, uma junção com cores tendências”, explicou a designer Karina Gonçalves.

As fábricas sabem que inovação e criatividade fazem a diferença. “O consumidor hoje quer produto não só de qualidade e com preço acessível, mas também com design diferenciado”, afirmou Marcos Serafim, organizador do evento.

Design de cerâmica
O pesquisador Anselmo Boshi, da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), acompanha o mercado e segundo ele o design de cerâmica pode dar um novo fôlego ao setor, que este ano movimentou R$ 1,5 bilhão. “A produção digital é uma grande revolução e vai fazer com que a indústria tenha uma possibilidade de decoração muito maior e parecida com a que tinha antes e isso é que de certa forma vem recompondo os ganhos dessa indústria, que apesar de ter sido afetada com o aumento do gá já começa a ganhar e recuperar o mercado”, disse.

Uma fábrica em Cordeirópolis, na região de Santa Gertrudes, produz R$ 3,5 milhões de metros quadrados de pisos e azulejos por mês. Há sete anos a empresa começou a apostar na decoração dos produtos.

As ideias da designer Camila Lambert surgem na tela do computador. “Uma coisa que a gente trabalha com bastante força é o visual e com a textura a gente busca chegar em um ponto que deixa dúvida: é madeira ou cerâmica”, explicou. Depois, o projeto vai para uma máquina e as peças que entram lisas saem com um novo visual. “A gente está sempre se atualizando, visitando feiras, visualizando o que o mercado está consumindo e lógico tendo um pouquinho de ousadia, apostando em materiais diferentes”.

Matéria completa no site:

http://g1.globo.com/sp/sao-carlos-regiao/noticia/2013/08/polo-ceramico-supera-crise-e-investe-em-novidades-em-santa-gertrudes.html